(81) 3222.5390 - 3221.3099
Em 13 de novembro de 2017 - às 11:27

Dinheiro da hora-extra continua para os trabalhadores das gráficas

Infelizmente, os jornais insistem com tal ameaça à hora-extra da classe, pois, diferente do sindicato dos patrões gráficos, os donos dos jornais não aceitam limitar a retirada de direitos contida na reforma trabalhista

Muita coisa negativa para todos gráficos das casas de obra no estado, como não receber mais o dinheiro da hora-extra, poderia iniciar a partir de hoje por conta da entrada em vigor da reforma trabalhista do Temer e dos deputados e senadores ligados ao patronato. O pagamento da hora-extra e outras dezenas de direitos só não deixarão de existir porque a classe mostrou unidade, organização e disposição de reeditar a cruzada paredista nas empresas do ramo. Os gráficos optaram por continuar seguindo o seu sindicato (Sindgraf) e lutar.  A cruzada só não aconteceu porque, diante de toda luta puxada pelo Sindgraf, o sindicato patronal recuou da intenção de validar os diversos males da reforma trabalhista.

 

O banco de horas no lugar do pagamento da hora-extra era um desses males permitido pela reforma trabalhista. E esse banco continua limitado porque a luta dos gráficos garantiu a renovação da convenção coletiva de trabalho dos gráficos com a inclusão de cláusulas garantindo sempre as melhores condições existentes do que precários termos da reforma. Veja AQUI na TV GráficoPE o que Iraquitan fala sobre esta conquista. 

 

“O justo dinheiro da hora-extra continuará indo para o bolso do gráfico”, conta feliz Iraquitan da Silva, presidente do Sindgraf. A nova convenção mantém o pagamento porque impõe limitações ao banco de horas. Ela tem validade até setembro de 2018. Com isso, até lá, dá condições do sindicato combater o banco nas empresas. E, na próxima campanha salarial, de continuar a luta para barrar essa reforma trabalhista outra vez. Pela nova convenção, o Sindgraf é quem dá a palavra final sobre  acordos voltados ao banco de horas, impostos pelos patrões. A reforma trabalhista permitia que fosse feita sem consultar a entidade de classe.

 

Apesar dessa garantia financeira em favor dos gráficos, já que não vão perder o direito de continuar recebendo o dinheiro da hora-extra, Iraquitan alerta a categoria para o risco do Sindgraf-PE fechar as portas diante do atual baixo número de trabalhadores sindicalizados. Com isso, a categoria ficará bem vulnerável porque não haverá quem fiscalize e exija das empresas o cumprimento da nova convenção e o pagamento da hora-extra, bem como dezenas de diversos direitos mantinhos nela.

 

Sindicalize-se AQUI! Garanta seu direito. Basta preencher o formulário. O Sindgraf-PE também visitará as empresas durante a campanha de sindicalização. Na ocasião, pegue e preencha a sua ficha de filiação. Juntos, somos sempre mais forte. Viva os Gráficos e proteja os direitos.

 

[+ Informe Diário]

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Responda: *