(81) 3222.5390
Em 20 de maio de 2022 - às 4:51

Enganados por Bolsonaro, gráficos só descobrem perto de se aposentar

Cresce o número de gráficos que buscam o Sindgraf-PE para dar entrada na aposentadoria especial por crer que Bolsonaro não destruiu este direito para quem completou 25 anos de trabalho insalubre após 12 de novembro de 2019, um dia antes da entrada em vigor da (de)reforma previdenciária. Quase 99% deles chegam acreditando que o direito continuou. Falam em direito adquirido. Só aí descobrem a pegadinha do desgoverno: que, além dos 25 anos de trabalho para conquistar tal direito, também é preciso ter 61 anos de idade. Voto tem consequência. Não vacile de novo na eleição!

O Sindgraf-PE continua garantindo a aposentadoria especial dos gráficos que completaram 25 anos de trabalho insalubre até 12 de novembro de 2019, mesmo que o trabalhador só procure o seu sindicato agora. E tem garantido na Justiça Federal, mesmo com a negativa do INSS. Aos que têm anos de trabalho exposto a barulho ou produtos químicos prejudiciais à saúde de modo permanente e habitual até esta data, mesmo que não os 25 anos completos, o sindicato ainda tem amenizado os efeitos dessa reforma sobre quem busca se aposentar a partir de 13 de novembro/2019.

 

Agora, infelizmente, estes com menos de 25 anos completos até 12/11/19, não conseguem mais a aposentadoria especial. E só não a obtém porque, desde 13/10/19 Bolsonaro incluiu uma regra de uma idade mínima de 61 anos além dos 25 anos de trabalho, e, mesmo assim, libera uma aposentadoria com um valor menor. Logo, explica o Sindgraf-PE, não tem mais essa história de direito adquirido: Bolsonaro o enganou e espero que não engane mais.  

 

Um caso recente de um ex-gráfico do JC com um pouco mais de 40 anos de idade, mas com 24 anos e seis meses de trabalho insalubre no jornal, completados no mesmo dia em que a reforma de Bolsonaro passou a valer, terá agora de trabalhar mais 16 anos, quando então completará 61 anos de idade, para só assim conseguir a sua aposentadoria. “Por causa de apenas seis meses de trabalho, ele não conseguiu sua aposentadoria especial no período, tendo, agora, de trabalhar mais quase duas décadas para obter a mesma aposentadoria, ou melhor, uma com o valor menor. Têm muitos como ele”, fala Iraquitan da Silva, presidente do Sindgraf-PE.

 

Apesar disso, o sindicalista relata que quase 99% dos gráficos que estão perto de completar (ou acabam de completar) os 25 anos de trabalho vão até o Sindgraf por acreditar que nada mudou na aposentadoria especial. Falam em direito adquirido. Só aí quando descobrem que Bolsonaro os enganou, pois, da forma que era, acabou desde 13 de novembro de 2019. “Voto tem consequência. Não vacile de novo. O Brasil precisa de Lula de novo – época onde o salário e os direitos mais foram valorizados no país. O Sindgraf garante luta. O gráfico garante o sindicato. SINDICALZEM-SE!

 

[+ Informe Diário]

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Responda: *