(81) 3222.5390 - 3221.3099
Em 25 de fevereiro de 2019 - às 8:17

Gráfico perderá aposentadoria especial com reforma previdenciária

Pela proposta de Bolsonaro, gráfico (homem e mulher) terá de trabalhar em condição prejudicial à saúde até 60 anos de idade para se aposentar

Os gráficos com 25 anos de trabalho insalubre têm direito à aposentadoria especial e com o seu valor integral. Nos últimos anos, mais de 400 casos foram garantidos na Justiça através da ação jurídica do Sindgraf-PE. Mas o trabalhador que votou em Bolsonaro, e até quem não votou nele ou em ninguém, está vendo ele atacar agora o direito de todos se aposentarem através da reforma da Previdência. Se a proposta for aprovada, o Sindgraf conta que os gráficos, que continuam expostos à produtos químicos, calor e ruído elevados, prejudicial à saúde, perderão o direito à aposentadoria especial como é hoje. Terão de laborar até 60 anos, homens e mulheres, independente de ultrapassarem os 25 anos do serviço com risco à saúde. O valor da aposentadoria agora nada especial ainda será reduzido a 60%.

 

“Pela proposta de Bolsonaro para mudar as regras da Previdência Social, ele acaba com a aposentadoria especial, apesar de dizer que não. Basta verificar que ele estabeleceu a idade de 60 anos de idade como condição para o gráfico se aposentar e desconsiderou o tempo de serviço insalubre por 25 anos”, denuncia Iraquitan da Silva, presidente do Sindgraf-PE. O prejuízo é alto. O gráfico começa a trabalhar muito cedo para sobreviver, muitos começam ainda de menor, tanto que se aposentam nas faixas dos 40 e 50 anos de idade, depois de já terem trabalhado 25 anos ou mais.

 

Mas com essa reforma da previdência, os gráficos terão de continuar na ativa por muito mais tempo e sem a aposentadoria especial. E não só até 60 anos de idade. Pelo projeto de Bolsonaro, a idade mínima para garantir a aposentadoria que ele chama de especial, mesmo não sendo mais, deverá subir ainda mais daqui a sete anos, e subir outra vez a cada quatro anos. A ideia é que todos só consigam a partir dos 65 anos de idade. Tudo isto está no texto oficial da reforma previdenciária (AQUI), no artigo 25º.

 

O valor da aposentadoria agora nada especial ainda será reduzido a 60%. Para elevar este valor, Bolsonaro quer que o gráfico continue trabalhando mais. Para garantir o valor integral, Bolsonaro definiu no artigo 25º da sua reforma da Previdência que o gráfico precisará trabalhar mais 20 anos, mesmo que já tenha laborado 20 anos em atividades prejudiciais à saúde. É isso que representa o texto da reforma quando diz que para elevar 2% do valor da aposentadoria especial será preciso laborar mais um ano após os 20 anos de serviço especial (exposto a produto químico, calor ou ruído. Para cada ano extra de trabalho, cresce 2% o valor. Portanto, será preciso mais 20 anos para garantir os 40% pendente para aposentadoria integral.

[+ Informe Diário]

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Responda: *