(81) 3222.5390 - 3221.3099
Em 9 de outubro de 2017 - às 7:54

Gráficos dos jornais têm direitos mantidos na prática por mais um mês

Iraquitan espera que a manutenção dos direitos seja confirmada com a aceitação de clausulas na convenção para que essa garantia dada pelos jornais não seja só até o próximo mês e sim até 1º de outubro de 2018

Os gráficos dos jornais iniciam esta semana com uma notícia razoável. Na teoria, não precisarão se preocupar com a perda de direitos contidos na Convenção Coletiva de Trabalho (CCT) nesta campanha salarial. O sindicato patronal aceitou renovar a CCT, mantendo todos os direitos dos gráficos do JC, Diário e Folha, bem como já garantiu a data-base da classe, que é em 1º de outubro. A informação foi repassada ao Sindicato da categoria (Sindgraf-PE) pelo advogado do patronal, Edmilson Boa viagem durante a primeira mesa de negociação na última sexta-feira (6).

 

Mas, tal aceno patronal não garante na prática os direitos nos próximos 12 meses. Na verdade, da forma que está, só garante mesmo até dia 10 do próximo mês, já que dia 11 de novembro os jornais já podem aplicar os retrocessos sobre os direitos posto pela reforma trabalhista do Temer aprovada por seus deputados e senadores aliados. Assim, a fim de zelar pela continua regulamentação do setor com respeito aos direitos de fato, como foi inclusive defendido pelo patronal através da garantia da CCT e da data-base, o Sindgraf-PE reivindicou novas cláusulas na convenção para impedir os males da reforma. Só a aceitação delas mostra de fato que os jornais querem a continuidade dos direitos no JC, Diário e Folha.

 

O sindicato patronal não questionou a pauta de reivindicação. Só pediu um prazo maior para analisar a situação. Já até marcou uma nova mesa de negociação. A reunião será realizada na quarta-feira da semana que vem. “Parece que este ano o sindicato patronal começou a negociação mostrando que quer preservar a imagem de seus jornais representados (o JC de Paes Mendonça, a Folha de Eduardo Monteiro e o Diário dos irmãos Rands) com uma postura moderna que busca mostrar o respeito, ao menos, a todos os direitos existentes dos gráficos. Até porque seria terrível para um sindicato patronal não preservar a imagem dos jornais”, colocou Iraquitan da Silva, presidente do Sindgraf na 1ª mesa negocial.

 

Iraquitan espera que a manutenção dos direitos seja confirmada com a aceitação de clausulas na convenção para que essa garantia dada pelos jornais não seja só até o próximo mês e sim até 1º de outubro de 2018.  Ele ainda reivindicou reajuste salarial de 7% na atual campanha salarial. O tema volta a ser discutido na próxima rodada. Iraquitan ainda inseriu para a nova mesa de negociação a discussão sobre a correção também das perdas econômicas no salário dos gráficos nos anos de 2015 e 2016.

[+ Informe Diário]

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Responda: *