(81) 3222.5390 - 3221.3099
Em 31 de agosto de 2020 - às 8:18

Gráficos não conseguem sacar por falha do governo ou da empresa

Sindgraf-PE acionou o Ministério da Economia depois de denúncias de trabalhadores que, mesmo tendo o direito ao PIS, não conseguiram sacar na Caixa por falha ou da gráfica ou principalmente do governo Bolsonaro no registro e processamento dos dados sobre salário e meses trabalhados do empregado em 2019 – ano base de referência para o pagamento atual. A empresa tem como verificar de quem foi o erro e corrigir mesmo quando foi do governo. Denuncie ao sindicato se o patrão se recusar a revisar tudo

Todo gráfico com emprego formal no último ano com uma renda que não passou dois salários mínimos e a partir de cinco anos de registro no PIS/Pasep tem direito ao abono salarial que começou a ser pago no mês passado, no valor de até R$ 1.045, definido com base no total de meses trabalhados. O pagamento vai até junho de 2021, conforme a data do seu aniversário (veja arte). Quem trabalhou em 2018 nestas mesmas condições e ainda não sacou o abono anterior, pode sacar ainda, no mesmo período posto na arte. Mas, por falhas de empresas e, sobretudo do governo federal, seja pelo não repasse dos dados (salários e meses trabalhados) dos empregados para o sistema responsável, ou pelo envio ou registro errado dos dados, têm gráficos não recebendo o PIS, mesmo atendendo todos os critérios.

 

Como este abono é um direito do trabalhador, o Sindgraf-PE alerta que, mesmo sendo por falha da empresa ou do governo, o abono pode e deve ser pago de toda forma. Mas para isso, estando empregado na empresa ou não, o gráfico precisa cobrar dela o ajuste das referidas informações, mesmo não sendo as empresas as responsáveis pela maioria dos casos problemáticos, mas sim o processamento de dados do governo federal.

 

O Sindgraf já procurou informações no Ministério da Economia (ME) em defesa do PIS do gráfico pernambucano. Descobriu que o problema está ocorrendo principalmente nas empresas já obrigados a prestarem as suas informações anuais de 2019 dos seus trabalhadores através do eSocial, não havendo a devida sistematização pelo governo em relação ao padrão anterior, gerando, agora, problemas no pagamento do abono do gráfico, sobretudo daqueles empregados em 2019 e demitidos durante este ano.

 

Apesar disso, a gráfica pode e deve acessar AQUI as suas informações enviadas ao eSocial e que compõe a base da Rais (Relação Anual de Informações Sociais), usando o certificado digital de quem transmitiu as declarações e baixou o Extrato da Rais. Verifique no extrato se os gráficos constam na base da Rais e se as remunerações estão declaradas em todos os meses. Caso haja divergências, confira se os eventos S-2200, S-1200, S-1210 e S-1299 de 2019 estão todos validados no eSocial.

 

“Se as informações declaradas pela gráfica estiverem certas, mas a Rais 2019 processada pelo governo estiver divergente, a empresa, ainda assim, precisará acionar a Secretária do Trabalho do ME, através do e-mail ccad.strab@mte.gov.br. A empresa deve relatar o caso e anexar todos os recibos de entrega do eSocial e o extrato da Rais para análise”, esclarece Iraquitan da Silva, presidente do Sindgraf-PE.

 

Outra falha do governo tem gerado problemas para o recebimento do PIS sobretudo de quem foi demitido este ano. O primeiro lote de pagamento não chegou para as pessoas com datas de aniversário para o saque por causa do governo responsável pelo processamento dos dados enviados pelas gráficas. “Nem todos foram processados. Neste caso, infelizmente, o gráfico terá de aguardar a boa vontade do governo para que isso ocorra, uma vez que sem os dados da Rais, não se libera o PIS”, critica Iraquitan.

 

No entanto, também tem caso que o problema é culpa direta da empresa. Existe aquelas que não enviaram os dados dos trabalhadores ao governo nem pelo eSocial ou pelo modelo anterior (GDRais) no prazo exigido. Mas a empresa continua obrigada a enviar. “Cobre dela e nos avise se ela se recusar”, diz Iraquitan da Silva, presidente do Sindgraf-PE. A gráfica que enviar ou corrigir os dados até 30 de setembro, o pagamento do PIS pode ocorrer a partir de novembro. Aquela que enviar ou corrigir apenas depois, só estará disponível no calendário do abono a ser divulgado próximo ano. Para saber sobre o seu PIS ligue para a Caixa através do 08007260207.

[+ Informe Diário]

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Responda: *