(81) 3222.5390 - 3221.3099
Em 5 de fevereiro de 2020 - às 8:24

Gráficos voltam a defender o legado do 7 de Fevereiro da categoria

“Não ficaremos de joelhos” diante do governo que busca o emprego sem direito. Há poucos dias do Dia do Gráfico nesta sexta-feira (7), a categoria para a produção da Casa da Moeda por 24 horas pela defesa dos direitos

Os gráficos brasileiros comemoram o Dia da classe nesta sexta-feira (7). A data remonta ao 7 de Fevereiro de 1923, quando há 97 anos os gráficos pararam a produção de um conjunto de empresas por 42 dias até que os patrões garantissem direitos coletivos e reconhecessem o direito de terem seu sindicato – condições inexistentes no Brasil daquela época. Foi a partir dessa luta que a categoria tem o direito de ter o Sindgraf em PE e a Lei dos Gráficos (vários direitos superiores à CLT, negociados pelo Sindgraf e o sindicato patronal). Estes são os dois principais legados da luta do 7 de Fevereiro. É por isso que a categoria tem o feriado nesta sexta e que será festejada no Clube de Cabos e Soldados, em San Martin, no Recife.

 

O legado do 7 de Fevereiro, no entanto, tem sofrido desde a chegada de Temer e depois de Bolsonaro no comando do Brasil. Mudaram as leis do Trabalho e da Previdência, em 2017 e 2019 respectivamente. Os efeitos delas têm ampliado o desemprego e o trabalho precário com baixo salário e sem direitos, bem como impedindo a aposentadoria dos trabalhadores. Com isso, em vários estados do Brasil, os sindicatos e direitos coletivos do gráfico (legado do 7 de Fevereiro) começam a ser enfraquecidos. “É preciso que a categoria compreenda a situação perigosa e retome a luta e unidade de classe para evitar este mal. Portanto, é preciso resgatar o espírito do 7 de Fevereiro”, diz Iraquitan da Silva, presidente do Sindgraf.

 

Este espírito de luta foi, sem dúvidas, manifestado pelos gráficos e demais trabalhadores cariocas da Casa da Moeda do Brasil durante esta semana. A categoria disse que não ficará de joelho enquanto ver o governo atacar seus direitos. Pararam a produção de passaportes e do dinheiro brasileiro por 24 horas e depois entraram em Estado de Greve na última segunda-feira (3). Semanas antes já haviam paralisado o trabalho por 10 horas. O sindicato obreiro na Casa da Moeda comanda o processo. Cerca de 2 mil trabalhadores cruzaram os braços contra o ataque ao conjunto de direitos deles. A empresa deixou de garantir o seguro de vida e elevou o desconto salarial. Também atrasa o salário e não quer renovar o acordo de direitos.

 

O ataque aos direitos e aos sindicatos dos gráficos não é exclusivo na Casa da Moeda, mas tem crescido em todo o Brasil após a nova lei trabalhista. Desde 2017 em PE, por exemplo, a classe, sob a liderança do Sindgraf, ainda tem conseguido resistir a parte dos ataques através da criação e da manutenção das cláusulas de barreiras na Lei Anual dos Gráficos (CCT).

 

Logo, é crucial que os gráficos continuem mantendo a chama do Sindicato acesa. Sindicalizem-se! O Sindgraf é o instrumento de luta da classe para liderar a reação dos gráficos pela garantia de direitos, salário e condições laborais. Sozinho e isolado o trabalhador não suportará a pressão dentro da empresa e o arrocho do governo federal com o emprego sem direitos. Sem o trabalhador junto, o sindicato também não conseguirá fazer nada.

 

O Sindgraf-PE aproveitará para fazer o lançamento da campanha em prol do legado do 7 de Fevereiro durante a festividade do Dia do Gráfico nesta sexta (7). Toda família gráfica é convidada do sindicato para ir ao Clube de Cabos e Soldados. Os associados presentes receberão uma camisa da campanha NÃO DEIXE ESSA CHAMA APAGAR e terão a missão de ao longo de 2020 buscarem mais gráficos para se sindicalizarem também. Sem novos filiados, o sindicato não conseguirá manter o funcionamento, o que significa a destruição do órgão e dos direitos coletivos nas gráficas. Portanto, aqueles trabalhadores que já foram sindicalizados que voltem aos quadros de associados. E que se associem aqueles que nunca foram.

 

SALVE O 7 DE FEVEREIRO!

VIVA OS GRÁFICOS!

 

 

[+ Informe Diário]

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Responda: *