(81) 3222.5390 - 3221.3099
Em 2 de outubro de 2012 - às 8:13

Faltam 24 horas para greve começar nas primeiras gráficas e jornais

Movimento começará se os patrões preferirem radicalizar com silêncio

O prazo para os empresários gráficos pernambucanos negociarem com os trabalhadores do estado acaba nesta terça-feira (02). O ultimato foi dado pela categoria obreira, que, encaminhou notificação ao sindicato patronal e aos principais jornais e gráficas na última sexta-feira (28). Segundo o documento, todas as empresas estão cientes que enfrentarão movimento paredista em função da omissão nas negociações. Pela notificação, as greves podem começar nesta quarta-feira (3). A categoria decidiu que as paralisações começarão pelas empresas de grande porte.

 

Não se sabe qual jornal ou gráfica será a primeira a parar, mas, conforme lista, pode começar pelo Diário de Pernambuco, Jornal do Commercio ou Folha de Pernambuco. Também pode ser pela Flamar, MXM, Liceu, IBG/Embrasa, Única/Unipauta, ou qualquer outra empresa de grande porte, uma vez que o sindicato patronal, representante de todas as gráficas no estado, também foi notificado pelo Sindicato dos Trabalhadores nas Indústrias Gráficas de Pernambuco (Sindgraf-PE).

 

Os trabalhadores apresentaram proposta de melhorias sociais e reajuste salarial de 15%, mas, deste agosto, período que a categoria iniciou a campanha salarial, os empresários não emitiram resposta. Apenas se limitarem a dizer que passam por dificuldades. Porém, meses antes da reivindicação da categoria, anunciaram à mídia que teriam faturamento 15% maior que o ano passado por conta do aumento de produção em função das eleições municipais. Diante da negativa de crescimento feito pelo sindicato patronal, o Sindgraf-PE pergunta direto ao trabalhador se ele está trabalhando mais ou menos em função do período eleitoral.

 

O setor gráfico é composto por empresas de grande, médio e pequeno porte. Porém, o sindicato patronal, na hora de negociar, diz que incluir melhorias sociais na convenção da categoria, vai falir as empresas menores. Mas, esta justificativa, apresenta dois problemas graves. “As grandes e médias empresas tentam se escolher na realidade das pequenas gráficas para evitar garantir ao funcionário as condições correspondentes às suas produções e demandas; já as pequenas tentam se isentar das suas responsabilidades enquanto empresas, ou seja, só pode ter gráfica quem tem condição de mantê-la, independente do seu tamanho”, pontua Iraquitan da Silva, presidente do Sindgraf-PE.

 

[+ Informe Diário]

Uma resposta para “Faltam 24 horas para greve começar nas primeiras gráficas e jornais”

  1. amaro disse:

    o sindicato está certo temos que lutar com o que podemos

Deixe uma resposta