(81) 3222.5390
Em 13 de junho de 2022 - às 11:18

Liceu para no Ministério do Trabalho após fraude em salário e outro ilícito

Até setembro, o menor salário para o ajudante de acabamento ou qualquer outra função de ingresso em gráficas é de R$ 1.539,61. Mas a gráfica Liceu só pagava a uma trabalhadora R$ 1.212 neste ano. E menos em 2021. Felizmente, foi desmascarada pelo Sindgraf e parou no Ministério do Trabalho anteontem (8). Terá agora um mês para pagar tudo que embolsou da profissional ou enfrentar os efeitos da força da Lei dos Gráficos e da ação sindical. O Sindgraf-PE garante luta. O gráfico garante o sindicato. SINDICALIZE-SE

Um ano e três meses de trabalho na Liceu (Recife) recebendo abaixo do piso da categoria, mesmo com esse piso já definido pela Lei dos Gráficos (CCT) há muito tempo, conquistada pela luta da categoria liderada pelo Sindgraf-PE na campanha salarial. Assim viveu uma trabalhadora na função de Ajudante de Acabamento. Foi de janeiro do ano passado a abril deste ano enfrentando a carestia dos alimentos e com o salário reduzido de forma ilegal. Foi por isso que a empresa foi parar no Ministério do Trabalho nesta quarta-feira (8). O pedido foi do sindicato da categoria.

 

Com isso, a Liceu terá de pagar tudo o que deve. Ou seja, cada uma das diferenças salariais de todos os meses, 13°, férias e demais reflexos nos direitos do trabalho no período, além dos devidos acréscimos nas verbas rescisórias da profissional.

 

“Depois de realizar tamanha façanha ilegal ao reduzir os valores dos quais a trabalhadora tinha direito a receber no decorrer de mais de um ano em que trabalhou no local, afrontando a Lei do Gráfico, a Liceu ainda tentou se esconder da gente para não ser descoberta pelo ilícito e ainda tentou tirar mais dinheiro da ex-empregada quando decidiu não comparecer ao Sindgraf-PE para fazer a rescisão contratual da mesma”, diz Iraquitan da Silva, presidente do Sindgraf-PE.

 

Apesar da tentativa desse golpe, fazendo a rescisão de modo ilegal na própria gráfica, o que configura o descumprimento de outra regra da lei dos gráficos, a Liceu acabou sendo desmascarada pelo Sindgraf e também no Ministério do Trabalho, tendo agora um pouco mais de um mês para solucionar as suas falhas ou enfrentar todos os efeitos da lei.

 

A fiscal federal do Ministério do Trabalho que mediou a cobrança de Iraquitan a representantes da Liceu marcou uma nova reunião para o dia 13 do próximo mês, data em que a empresa terá de apresentar solução para as demandas que se envolveu. O Sindgraf-PE garante luta. O gráfico garante o sindicato. SINDICALIZE-SE 

[+ Informe Diário]

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Responda: *