(81) 3222.5390 - 3221.3099
Em 7 de fevereiro de 2018 - às 7:32

Luta sindical mantêm feriado hoje para gráficos por se Dia da Classe

Embora seja o Dia Nacional da categoria, os gráficos pernambucanos são um dos poucos que têm tal direito garantido no Brasil, em função da luta da recente campanha salarial, que barrou até parte da reforma trabalhista

Nesta quarta-feira (7), nenhum gráfico é obrigado a trabalhador no seu dia. O sete de fevereiro é o dia nacional da categoria em referência ao início da greve de quase dois meses dos gráficos paulistas no ano de 1923,  que conquistou, pela 1ª vez no país, direitos coletivos, inclusive a representação sindical da classe, conquistas atacadas pela atual lei da reforma trabalhista de Temer, que teve parte dela barrada pelos gráficos pernambucanos durante a campanha salarial, garantindo tais direitos coletivos, inclusive este dia do sete de fevereiro como feriado a todos. A empresa que desrespeitar o direito do gráfico à folga remunerada hoje, é obrigada, de início, a pagar extra de 100% por cada hora laborada. O Sindgraf-PE orienta o gráfico a denunciar à situação ao órgão de classe.

 

“Golpistas, tirem aos mãos de nosso direito”, endossa Iraquitan da Silva, presidente do Sindgraf. Este é o lema da classe pernambucana para os 95º Dia dos Gráficos em resposta ao golpe da nova lei que buscar liquidar o legado do 7 de fevereiro (direitos coletivos e representação da classe). O dirigente denuncia que a lei da reforma trabalhista flexibilizou em 100 artigos da CLT contra os trabalhadores. Ele lembra ainda que o governo Temer e os seus aliados do Congresso Nacional, a exemplo dos senadores FBC e Armando Monteiro Neto, defendem agora reforma previdenciária para buscar destruir também o direito à aposentadoria.

 

A categoria inclusive se reunirá no Sesi do Ibura, no Recife, no próximo dia 18, domingo após o Carnaval, para lançar oficialmente a campanha ‘Golpistas: retirem as mãos dos nossos direitos’. Os gráficos entendem que não há outro caminho, senão através da luta para defender todos os direitos trabalhistas e previdenciário. Luta da qual se espelha no legado deixado pelos heroicos gráficos do sete de fevereiro de 1923. Foi neste espírito de unidade, organização e disposição de luta que a categoria evitou na recente campanha salarial a validação da reforma trabalhista, inserindo novas cláusulas na convenção para barrar parte desse mal. Viva os Gráficos!

[+ Informe Diário]

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Responda: *