(81) 3222.5390 - 3221.3099
Em 27 de junho de 2018 - às 8:11

Mais gráficas rápidas e digitais passam a garantir direitos da classe

Empresas passam a pagar salários e direitos da convenção dos gráficos

Na última segunda-feira (25), mais cinco gráficas rápidas e digitais (Boa Impressão, Grafshop, Varadouro, Wangraf e Grafficom) confirmaram junto ao Ministério do Trabalho que são atividades econômicas do setor gráfico a fim de evitarem fiscalizações e autuações pelo órgão público. A ação ainda garantiu para estas empresas todo suporte técnico e jurídico do Sindicato nas Indústrias Gráficas de Pernambuco (Sindusgraf-PE). E também evitou com que elas sofressem com prejuízos administrativos e financeiros diante dos ajuizamentos do Sindicato dos Trabalhadores da categoria (Sindgraf-PE) sobre os passivos trabalhistas dos últimos anos diante do descumprimento da convenção coletiva de trabalho da classe.

 

Já a partir deste mês, todos os trabalhadores dessas empresas passam a ser regulamentados pela convenção das indústrias gráficas do Estado. Com isso, conforme assumiram a sua responsabilidade diante do auditor fiscal do Ministério do Trabalho e dos presidentes dos órgãos patronais e obreiros, os proprietários dessas empresas passam a pagar o salário e todos os direitos convencionados para os seus funcionários – estes que são profissionais gráficos. “Os empregados desses locais sempre foram gráficos diante das atividades em que desenvolviam, mas não recebiam o respectivo salário e direito porque as empresas estavam enquadradas erradamente em sindicatos de outras categorias profissionais”, comenta Iraquitan da Silva, presidente do Sindicato dos Trabalhadores Gráficos.

 

O dirigente alerta às empresas que quem descumprir a convenção será acionado de agora em diante. E o Sindgraf-PE estará à disposição dos trabalhadores em caso de descumprimentos. Denuncie AQUI. O sigilo é garantido. A Convenção Coletiva de Trabalho (CCT AQUI) dos Gráficos tem 60 direitos superiores a CLT. Confira AQUI todos os seus direitos!

 

A Boa Impressão, Grafshop, Varadouro, Wangraf e Grafficom não foram as primeiras gráficas rápidas e digitais pernambucanos a confirmarem no Ministério do Trabalho a regulamentação do enquadramento sindical, garantido aos trabalhadores o salário e direitos adequadas. Na última semana foi a vez das gráficas Argentina e São Bento. Todas elas foram convocadas pelo Ministério do Trabalho porque os sindicatos patronais e obreiro verificaram que as atividades preponderantes dessas empresas são essencialmente de serviços gráficos, devendo, portanto, enquadrar-se sindicalmente como tais. E, nesta sexta-feira (29), mais dez rápidas e digitais foram convidadas para comparecerem ao Ministério do Trabalho, sob pena de fiscalização posterior se não aparecer.

[+ Informe Diário]

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Responda: *