(81) 3222.5390 - 3221.3099
Em 1 de junho de 2018 - às 8:34

Menor salário em gráficas rápidas e digitais deve ser de R$ 1.235,55

Nenhum trabalhador das gráficas rápidas e digitais pernambucanas, aquelas que costumam atuar com copiadoras e produção de banner e adesivo respectivamente, pode receber o salário inferior a R$ 1.235,55. O valor é bem superior ao salário mínimo nacional (R$ 954). Pois, existe uma regra reconhecida pelo Ministério do Trabalho onde reconhece a remuneração mínima de R$ 1.235,55 para estes profissionais, conforme está definida na Convenção Coletiva de Trabalho desta categoria. Mas estas empresas vêm pagando abaixo do piso de forma ilegal. Se você é ou conhece algum funcionário dessas empresas, denuncie no site do Sindgraf ou pelo comunica@sindgraf-pe.org.br. O sigilo é garantido!

 

O Sindicato responsável legal por fiscalizar as gráficas rápidas e digitais em Pernambuco (Sindgraf), como reconhece o Ministério do Trabalho, acredita que hoje muitos empregados estão recebendo abaixo do piso da classe. Porém, muitos nem sabem, pois as empresas negam a eles o direito de receber a remuneração correta. Dizem para os profissionais que eles não são gráficos. Mas, diferente do que as empresas dizem, os trabalhadores de gráficas rápidas e digitais são gráficos. E o Ministério do Trabalho no Estado começou inclusive, em parceria com o Sindgraf, a identificar e convocar todas as empresas do ramo para se adequarem ou sofrerem sanções administrativas e financeiras se não se ajustarem.

 

É o Sindgraf-PE que tem feito o levantamento de todos as empresas do gênero no estado que tem descumprimento o piso salário e tem negado os 60 direitos da convenção da classe, que são superiores até a CLT. O levantamento é feito a partir das denúncias dos próprios funcionários das gráficas rápidas e digitais. Com isso, o nome da empresa é enviado para o Ministério do Trabalho. Já há uma lista de mais de 50 empresas que foi entregue pela entidade da categoria para o órgão público. A lista, porém, ainda é pequena se comparado com o número de empresas do tipo no estado que tem negado o correto salário e direitos da categoria.

 

Dentre os 60 direitos da classe mais sonegados, realça-se, por exemplo, o trabalho feito nos sábados nas gráficas rápidas e digitais. Ele tem sido ilegal porque a jornada semanal dos trabalhadores só pode ser realizada de segunda à sexta-feira. “Para poder ocorrer no sábado, mesmo que os funcionários concordem, ainda assim, só após autorização por escrito pelo Sindicato da classe (Sindgraf-PE), que pela convenção regula estas empresas. E, atualmente, nenhuma gráfica rápida e digital em PE tem tal autorização. Logo, ninguém pode trabalhar no sábado. Isso é ilegal. Denuncie esse absurdo”, diz Iraquitan da Silva, presidente do Sindicato.

[+ Informe Diário]

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Responda: *