(81) 3222.5390
Em 24 de setembro de 2021 - às 8:12

Morte de trabalhadores da indústria dobra no 2° ano pandêmico, alerta Sindgraf-PE

O número de óbitos equivale a duas vezes todos os gráficos no estado. A categoria começou, ontem, a sua campanha salarial em defesa da vida, emprego, renda e da comida na mesa diante da pandemia e da alta inflação que têm matado ou pelo vírus ou pelo elevado custo de vida, com destaque sobre a alimentação. Reivindicam melhores salários e cesta básica, sobretudo por colocarem sua vida literalmente em risco. Apesar da falsa impressão de que a pandemia chegou ao fim, o Dieese demonstra que o número de mortes na indústria dobrou neste ano em relação a 2020

Morreram quase 10,5 mil na indústria somente nos seis primeiros meses de 2021, ante cerca de 5 mil no 1° semestre do ano passado, de acordo com os dados do Ministério do Trabalho, compilados pelo Dieese. Portanto, a quantidade de mortes deste ano já representa quase o dobro do total de gráficos empregados em Pernambuco. 

 

“Portanto, o trabalho dos gráficos expostos a produtos químicos e/ou ruídos elevados além de insalubre para a vida, bem que já poderia ser classificado também como do tipo periculoso, porque a atividade laboral não só pode prejudicar a sua saúde, mas também ameaça a própria vida quando empregada na manutenção dos negócios e dos lucros do setor empresarial”, observa Iraquitan da Silva, presidente do Sindgraf-PE.

 

Desse modo, trabalhar no setor gráfico ou em qualquer outra atividade econômica industrial significa colocar a vida literalmente em risco, sem falar da insegurança alimentar no caso da maioria dos gráficos pernambucanos, uma vez que a grande maioria das empresas continuam sem garantir cesta básica e vale-refeição, mesmo diante da alta no preço dos alimentos, cujo já vem corroendo 35% da renda da classe.

 

Por esta razão, não basta os donos de gráficas no estado garantirem nesta campanha salarial somente um reajuste superior à alta inflação para tentar compensar a dedicação e a bravura dos seus trabalhadores nesta pandemia e com elevado custo de vida. “É preciso reconhecer isso através de outros gestos práticos. Não há melhor maneira de fazer isso senão através da distribuição da cesta básica e do vale-alimentação”, finaliza Iraquitan. O Sindgraf garante luta pela vida, emprego, renda e por comida na mesa da classe. O gráfico garante o sindicato. SINDICALIZE-SE!

[+ Informe Diário]

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Responda: *