Trabalhadores gráficos querem mais que reajuste salarial

O cenário da economia internacional pode até estar instável, mas o setor gráfico pernambucano vai ‘muito bem obrigado’. A tendência é de crescimento.

Em virtude das eleições municipais, as empresas terão faturamento maior de 15% que 2011. Assim, além de reajuste salarial correspondente, os trabalhadores exigem avanço nas questões sociais.

Aumentar os percentuais da hora extra e do adicional noturno e restabelecer o adicional anual por tempo de serviço são algumas das reivindicações aprovadas na assembleia da categoria.

“O adicional das horas extras precisa melhorar. Isso é uma questão de respeito com os trabalhadores”, diz o presidente do Sindicato dos Trabalhadores das Indústrias Gráficas de Pernambuco (Sindgraf-PE).

Os gráficos querem ser remunerados com o percentual de 100% sobre a hora normal. O adicional noturno também precisa aumentar. “O trabalho deve ser remunerado com o acréscimo de 50% sobre a hora diurna”, cobra.

O adicional anual por tempo de serviço é outra reivindicação apresentada. “A partir do dia 1° de outubro, queremos o adicional que era conferido aos empregados, através de normativas anteriores, referente a uma gratificação no valor correspondente a 1% do respectivo salário”, exige.

Ele complementa dizendo que os trabalhadores que já vêm recebendo a gratificação denominada de qüinqüênio e/ou anuênio, farão jus ao pagamento de novos anuênios, equivalente a 1% do respectivo salário para cada ano de serviço prestado completado.

Redução da jornada de trabalho, sem redução de salário também é exigido. “Todo o setor profissional das indústrias gráficas deve ter uma jornada de 40 horas semanais de trabalho”, reclama Iraquitan.

O dirigente lembra, porém, que também é preciso manter as 16 horas de descanso semanal remunerado correspondente aos sábados e domingos, sem redução de salário. “Sem luta, não há conquistas. Juntos somos ainda mais fortes!”, finaliza.

 

 

Enter Your Mail Address