(81) 3222.5390
Em 4 de agosto de 2022 - às 15:36

Patrão paga quanto e quando quer ao gráfico se fugir da homologação obrigatória da demissão no Sindgraf. Denuncie

Porém, graças à luta organizada de grande parte dos gráficos nas campanhas salariais, resultando na Lei da Classe (CCT), os patrões não podem aplicar os ataques da reforma trabalhista de 2017 contra os direitos trabalhistas nos dias de hoje. Assim, continuam obrigados a homologar a rescisão do contrato dos gráficos no sindicato. Para isso, basta o gráfico denunciar ao Sindgraf para o órgão combater todo patrão que tenta fugir da regra para dar golpe sem pagar nada das verbas rescisórias ou pagar menos. O Sindgraf-PE garante luta. O gráfico garante o sindicato. SINDICALIZE-SE

Cuidado no Golpe. Não seja parceiro do patrão contra seus direitos. Muito menos quando está sendo demitido. O gráfico é cúmplice do mal patrão quando é desligado e aceita assinar sua rescisão na própria empresa. A Lei do Gráfico, mais forte do que a Reforma Trabalhista, obriga que seja feita no Sindgraf. Esta semana, por exemplo, faltava a homologação de gráficos recém demitidos de duas empresas (Ediniz e uma outra menor), sendo descoberto somente porque buscaram ajuda do Sindgraf.

 

No Brasil, há casos de empresas que enganam o trabalhador não pagando nada, mas dizendo que já pagou em dinheiro e nem a Justiça pode mudar isso porque o trabalhador assinou. Em Pernambuco, este ano já foram denunciadas gráficas (Liceu e mais) que demitiram e fugiram do Sindgraf, não homologando a rescisão, sendo depois descobertos direitos e salários pagos abaixo dos devidos valores.

 

Nesta quinta-feira (28), a Ediniz, por exemplo, terá de homologar uma rescisão feita está semana de um gráfico demitido e que havia vindo sozinho ao Sindgraf. “Orientei a ele que a Lei da Categoria impede que a rescisão seja feita na empresa, bem como liguei para a gráfica e disse que é obrigatório fazer no sindicato, quando será conferido cada direito e os respectivos valores que devem ser pagos com base na CLT e na nossa CCT”, diz Iraquitan da Silva, presidente do Sindgraf no Estado.

 

Outro caso, um gráfico ligou para o Sindgraf fazer os cálculos das suas verbas porque a empresa pode vir a fazer na própria empresa. Neste caso, o sindicato o orientou a ir com a empresa homologar sua rescisão. Não caia na onda do patrão. Se for demitido vá logo no Sindicato dizer o caso para evitar com que a empresa venha a lesar seus direitos. A lei do gráfico garante a homologação, mas os trabalhadores tem que fazer valer seu direito informando ao Sindgraf, porque senão não terá efetividade. Valorize essa luta e conquista. Os gráficos de PE são um dos poucos no Brasil que mantiveram tal direito. Seja mais um sócio. SINDICALIZE!

[+ Informe Diário]

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Responda: *