(81) 3222.5390
Em 17 de junho de 2022 - às 4:15

Novos furtos no Sindgraf-PE afetam os trabalhos em defesa da categoria por inoperância da SDS e Neoenergia

Depois de furtos em dias seguidos, mesmo após acionar a SDS, o Sindgraf volta a sofrer mais crimes. Levaram até o contador de energia no último fim de semana. Além da inoperância estatal no combate à criminalidade, mesmo localizado próximo da SDS, o sindicato penou agora com o péssimo serviço para o restabelecimento da energia na sede pela Neoenergia, antiga Celpe, empresa privatizada com promessa de que seria melhor ao povo. O que cresceu foi o preço do serviço. O caso serve para mostrar aos trabalhadores que privatização, como fazem agora com a Eletrobras e Petrobras, será bom só para quem compra barata as empresas públicas

O Sindgraf-PE tem enfrentado duas situações distintas no seu cotidiano alterado após os furtos recorrentes em sua sede há algumas semanas. Mais especificamente nesta última, quando mal funcionou porque ficou à espera da Neoenergia para fazer a instalação de um novo contador, já que o original foi furtado no domingo (12). Desde então, vários protocolos foram enviados para a Neoenergia, sendo restabelecida a energia apenas na noite de quarta-feira (15).

 
Ainda assim, o Sindgraf-PE enfrenta uma situação de impotência por não ter mais onde recorrer para manter preservada a integridade física do sindicato e garantir o funcionamento seguro e ideal. Mesmo assim, com a consciência de seu papel social, o sindicato tem atuado, na medida do possível, para manter a organização sindical dos gráficos pela garantia salarial, dos direitos e das condições de trabalho nas empresas em PE.

 

“O serviço de energia tem natureza pública dada sua relevância social e econômica para todos. Mas em PE está nas mãos da iniciativa privada (Neoenergia) desde que privatizaram a Celpe com promessa de melhoria. Pagamos uma tarifa hoje maior, mas quando precisamos e com urgência por causa da insegurança pública, constatamos que a situação piorou”, relata indignado Iraquitan da Silva, presidente do Sindicato dos Gráficos.

 

Sem energia, o telefone fixo na sede do Sindgraf ficou sem funcionar em prejuízo de todos trabalhadores que precisaram ser atendidos em busca de socorro. Também ficou faltando água por causa da inviabilidade de puxá-la com a bomba elétrica. Os ar-condicionados já não vêm funcionando mesmo, estes que tiveram os seus condensadores furtados de cima do telhado antes de levarem agora o contador elétrico.

 

Apesar da gravidade e da urgência do caso, tendo quatro protocolos por telefone, online e até presencial em dias diferentes dada à inoperância para resolver o problema, o Sindgraf precisou acionar até a ouvidoria da empresa privada de energia de PE.

 

“Não poderíamos ficar parados diante da informação da Neoenergia de que após ter o contador furtado, teria de esperar mais até 15 dias para eles botarem outro no lugar, elevando o prejuízo para os gráficos do estado. Foi só assim garantida a correção efetiva na última quarta-feira (15). Quanto à resposta da SDS a furtos que sofremos, disse que o contador é de responsabilidade da Neoenergia. Quanto ao combate aos crimes, não seria responsabilidade do governo Paulo Câmara por meio da Secretaria Estadual de Defesa Social (SDS), ou pensam em privatizar?” diz Iraquitan. O Sindgraf garante a luta. O gráfico garante o sindicato. SINDICALIZE-SE!

 

[+ Informe Diário]

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Responda: *