(81) 3222.5390 - 3221.3099
Em 11 de maio de 2018 - às 8:30

Sindgraf-PE eleva mecanismo para garantir direitos nas gráficas rápidas

Trabalhadores dessas empresas costumam receber salários e direitos menores porque seus patrões enquadram as gráficas em outras categorias

Embora sejam gráficas, visto suas atividades econômicas e produtivas vinculadas ao ramo, independente de serem de pequeno porte ou não, os trabalhadores dessas empresas não podem mais conviver com uma grande injustiça de serem gráficos e não receberem os mesmos salários e direitos dos demais profissionais das outras gráficas em Pernambuco. Para reverter a situação, o Sindicato da classe (Sindgraf-PE) priorizará ações para enquadrar sistematicamente tais empresas visando garantir aos trabalhadores salários e direitos maiores que os atuais. Para isso, o órgão entende esse ajuste passa pelo Ministério do Trabalho no Estado, que também precisa atuar neste sentido. E começou. A primeira gráfica rápida já foi chamada para se adequar, conforme exigência do sindicato. Assim, nas próximas semanas, o enquadramento ocorrerá, sem sanção administrativa ou financeira, na Triad Comunicação, pois não precisou  de ações judiciais, como está ocorrendo conta Gráfica Nacional e a SIN.

 

Em breve, haverá outra reunião da entidade no órgão público, onde será apresentada uma lista inicial de mais de 30 gráficas que enquadram-se equivocadamente enquanto do setor sindical do comércio ou de Sindex. “Com isso, esperamos contribuir com o Ministério e para que os gráficos dessas empresas sejam gráficos de fato e também de direitos e com os  salários melhores, já garantidos por nossa convenção coletiva para os outros 6 mil gráficos pernambucanos”, diz Iraquitan da Silva, presidente do Sindgraf-PE. Ele explica que a melhoria para esses trabalhadores se dará a partir do devido enquadramento sindical da sua empresa como sendo do setor gráfico e não do comércio ou de “máquinas de Xerox”, está última nem é uma atividade econômica, não devendo ter sindicato patronal.

 

O Sindgraf-PE aproveita para orientar o trabalhador de gráfica rápida para denunciar se a sua empresa não estiver enquadrada sindicalmente como gráfica. E é fácil saber. Um dos fortes indícios é se recebe salário mínimo ou abaixo do piso salarial da classe gráfica, que é R$ 1.235,55. Outro indício é se nunca ouviu falar no Sindgraf dentro da sua emprega. E também se quando é demitido, o patrão não faz a rescisão contratual dentro do Sindgraf. “Em caso de dúvida ou de denúncia, nos consulte. Não é preciso nem sair de casa, caso queira. Faça pelo site do sindicato na seção Denúncia Online. Deixe os seus contatos que retornaremos”, diz Iraquitan. O sigilo é garantido. Juntos, todos gráficos são mais fortes!

[+ Informe Diário]

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Responda: *