(81) 3222.5390 - 3221.3099
Em 27 de setembro de 2019 - às 9:30

Sindgraf garante FGTS e seguro-desemprego para gráficos da IGB

Mais de 40 gráficos foram demitidos pela IGB/Embrasa no final de agosto. Demitiu, não pagou nada e ainda os orientou a não buscarem o sindicato

IGB/Embrasa demitiu e não pagou ninguém. Descumpriu a lei trabalhista. E atropelou a LEI DO GRÁFICO. Passaram 10 dias do desligamento e não homologou no Sindgraf a rescisão contratual dos profissionais. Ainda os mandou procurarem a Justiça diretamente, e não o sindicato. Aos que buscaram a proteção sindical, a entidade já conseguiu alvará judicial para quase todos nesta semana. Somente um aguarda botar parte do dinheiro do FGTS no bolso e a liberação para o Seguro-Desemprego. Além disso, no mês de outubro, estão marcadas as audiências na Justiça para buscarem o restante do dinheiro do FGTS e multa de 40%, todas verbas rescisórias e mais todas as multas da CLT e da LEI DO GRÁFICO, ora descumpridas.

 

“Até agora, cinco dos seis gráficos demitidos que nos procuraram estão com a situação menos precária, pois o alvará judicial que conseguimos já permitiu com que eles sacassem o dinheiro depositado na conta do FGTS e a liberação para poderem solicitar o seguro-desemprego. O sexto alvará deve sair logo. O nosso departamento Jurídico, liderado pela advogada Gizene Oliveira, também já agilizou as audiências na Justiça do Trabalho para que esses trabalhadores possam reaver os seus direitos negados”, diz Iraquitan da Silva, presidente do Sindicato da classe em Pernambuco.

 

O Sindgraf-PE continua à disposição dos demais gráficos demitidos que ainda não buscaram a proteção jurídica da entidade. “Nossos advogados estão aqui para defender os interesses dos trabalhadores na Justiça. Não vacile. Defenda seus direitos. Se a gráfica IGB/Embrasa, mesmo depois de demiti-los e não pagar nada a ninguém, ainda diz para não procurarem o sindicato, façam o contrário. Quem nos procurou já está com parte do dinheiro no bolso, o seguro-desemprego liberado e audiência judiciais nas próximas semanas para garantirem todo os seus direitos”, alerta Iraquitan.

[+ Informe Diário]

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Responda: *