(81) 3222.5390
Em 4 de maio de 2022 - às 9:59

Sindgraf-PE reage à bárbara aposta do Diário e da Folha sobre a vida dos gráficos arrochada pela carestia

Com uma inflação atual que roda em 12%, sem falar dos 10,78% do último ano até a data-base dos gráficos no Estado (outubro), os dois principais jornais impressos (Folha e Diário) negligenciam essa carestia quando se trata de recompor a renda dessa categoria. E insistem nisso mesmo diante dos esforços do Sindgraf-PE já há nove meses - tempo suficiente para a gestação de uma criança. Infelizmente, a intransigência da parte patronal continua mesmo dizendo o contrário. Tanto é verdade que até um auditor responsável do Ministério do Trabalho e Emprego (MTE) desistiu de continuar na mediação da negociação entre as partes, entrando agora um delegado do trabalho para intervir no processo.

“Hoje, com o governo de plantão, não se compra nem a metade do que se comprava com o mesmo valor real do salário nos governos Lula. Tudo aumentou sem controle. A carestia voltou pesadamente. Até os bancos já reclamam de Bolsonaro. Imagine a vida dos gráficos do Diário e da Folha que ainda não tiveram o devido reajuste de 10,78% como os demais gráficos de PE já conquistaram desde outubro/2021. E tudo isso por pura intransigência do patronal desses dois jornais”, critica Iraquitan da Silva, presidente do Sindgraf-PE.

 

O dirigente questiona em que mundo esses jornais vivem para ampliar o sofrimento dos seus gráficos diante do descontrole inflacionário deste governo negacionista apoiado ainda pelos setores empresariais. “Mesmo sabendo da inflação atual de 12%, além das 10,78% do período anterior, insistem no reajuste só de até 5,50%, impondo mais arrocho sobre o poder de compra desses empregados. Isso é uma selvageria radical”, repudiou Iraquitan na última mediação do MTE, realizada na última semana.

 

O Sindgraf-PE espera que o patronal reconheça pelo menos que não há mais condições de ter negociação. E, já que está demonstrado na prática que não quer negociar, mas somente impor mais achatamento salarial, aceite então que o caso seja agora decidido pelo Poder Judiciário. “Todavia, se quiserem negociar, parem com tal selvageria contra quem faz o jornal rodar todos os dias para o povo pernambucano. Não aceitaremos, sem lutar, voltar ao tempo de escravos”, falou Iraquitan. O Sindgraf garante a luta. O gráfico garante o sindicato. SINDICALIZE-SE

[+ Informe Diário]

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Responda: *