(81) 3222.5390 - 3221.3099
Em 10 de agosto de 2018 - às 9:05

Sindgraf protesta na Multimarcas contra o risco à saúde de gráficos

Neste momento, com carro de som na frente da empresa, sindicalistas exigem o basta nos casos de adoecimento e cuidado com os já doentes. Basta da falta de cuidado com a saúde e segurando dos trabalhadores

Nesta sexta-feira (10), dia em que trabalhadores em todo o Brasil estão realizado manifestações contra a retirada de direitos pelo governo atual em parceria com deputados e senadores ligados ao setor empresarial,  os gráficos pernambucanos, representados pelo Sindicato da categoria (Sindgraf-PE), estão diante da empresa Multimarcas em Recife – maior gráfica em quantidade geral de trabalhadores e de mulheres em todo o NE. Os sindicalistas protestas contra a postura questionável da empresa referente aos seus cuidados com a saúde e segurança dos profissionais.  No local, não é incomum que funcionários sejam demitidos após contrair doenças ocupacionais, como um caso atual denunciado ao Sindgraf-PE. O presidente da Central Única dos Trabalhadores (CUT), Paulo Rocha, acaba de chegar na localidade para reforçar a defesa das condições laborais e todos os demais direitos dos profissionais gráficos(as).

 

“Hoje, trabalhadores de várias categoria e demais segmentos sociais em todo o país estão exigindo um basta em tanto desemprego, aumento do custo de vida e sobretudo o fim de direitos. É por isso que o movimento se chama DIA do BASTA. E nós, gráficos pernambucanos, estamos aqui na Multimarcas para exigir um basta no caso de adoecimento de seus trabalhadores. Para isso, é preciso cuidar das condições no ambiente de laboral, do maquinário e da ergonomia dos empregados em todas áreas, inclusive no Acabamento onde as funcionárias desenvolvem atividades manuais, de modo que não adoeçam em função do serviço”, acaba de falar pelo carro de som, o presidente do sindicato, Iraquitan da Silva.

 

Uma funcionária do local desenvolveu uma Lesão por Esforço Repetitivo (LER) e a empresa insiste em tentar demiti-la, mesmo depois do laudo médico apresentado pela trabalhadora feita na rede médica do plano de saúde da empresa, ora chancelado até por uma médica do Ministério do Trabalho, na ocasião de uma reunião solicitada pelo Sindgraf-PE para tratar do referido assunto, mas que a empresa simplesmente não foi. Ao invés de reconhecer a situação do adoecimento laboral da empregada, o médico do Trabalho da empresa, que segundo denúncias anônimas tem certo parentesco com o dono da Multimarcas, negou tratar-se de doença relacionada à atividade que a profissional desempenhava, mesmo com o trabalho manual diário por anos, estando ela apta para o desligamento.

 

Assim, com tal hipótese de poder demitir a trabalhadora doente, porque segundo a empresa ela não tem doença laboral, a funcionária  pode ter problemas após a dedicação de anos de sua vida para a Multimarcas. É injusto. Ela dedicou até a sua saúde, que é o maior bem de qualquer pessoa, ora prejudicada devido seu trabalho como demonstra os laudos do médico do plano de saúde a empresa, chancelado pela médica do Ministério do Trabalho. “Basta de tantos desrespeitos. “Se necessário, formalizaremos um queixa até no Conselho Regional de Medicina para verificar a postura do médico vinculado a empresa, considerando nesta queixa que existem denúncias de que o referido médico da Multimarcas é parente do dono e que a empregada com LER está correndo o risco de ser demitida em função somente do seu parecer”, adianta Iraquitan.

[+ Informe Diário]

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Responda: *